Pular para o conteúdo
Início » Vale a pena comprar Apple na Europa? [ATUALIZADO 2024]

Vale a pena comprar Apple na Europa? [ATUALIZADO 2024]

  • por
Vale a pena comprar Apple na Europa? [ATUALIZADO 2024]


Será que vale a pena comprar Apple na Europa, mesmo com o Euro nas alturas? Veja todas as contas, incluindo IOF, tax-back e taxas alfandegárias.

Os viajantes experientes já sabem que comprar produtos Apple nos Estados Unidos vale muito a pena, mesmo com o dólar nas alturas. Mas será que podemos dizer o mesmo para a Europa?

Afinal, por ser uma marca americana, os preços praticados no velho continente são mais altos do que os dos Estados Unidos. Ainda assim, a compra pode compensar, especialmente se levarmos em consideração que vários países da Europa trabalham com um sistema de tax-free, onde turistas podem receber reembolso dos impostos pagos por produtos adquiridos durante a viagem.

Nesse post, eu te mostro se vale a pena comprar Apple na Europa, com todas as contas considerando os valores que os produtos são vendidos, IOF, o reembolso que você vai receber e até mesmo se você declarar seus produtos na alfândega brasileira!

Comparação de preço entre os principais produtos da Apple no Brasil e na Europa

Primeiramente, vamos comparar os valores praticados no solo brasileiros com os valores praticados na Europa para os principais produtos da Apple: iPhone, Macs, Apple Watch, AirPods e iPad. 

Os valores oficiais da Apple são tabelados na União Europeia, o que quer dizer que comprar na loja oficial em Madrid vai ser o mesmo preço inicial que comprar na loja em Paris. Isso quer dizer que não importa em qual país você vai fazer suas compras? Não necessariamente, mas explicarei melhor na seção sobre tax-free dentro desse post.

Para fins de comparação, vamos usar a cotação atual, onde €1 equivale a R$5,42. Os valores foram retirados das lojas oficiais da Apple no Brasil e na Espanha.

Produto Preço no Brasil Preço na Europa Preço Convertido Diferença de preço
iPhone 15 Pro Max 256GB R$10.999 €1499 R$8.119 R$2.880
iPhone 15 128GB R$7.299 €989 R$5.357 R$1.942
iPad (10a geração) 64GB Wi-Fi R$4.999 €599 R$3.244 R$1.755
iPad Pro M2 11″  128GB Wi-Fi R$9.799 €1079 R$5.844 R$3.955
MacBook Air 13″ M3 R$14.499 €1349 R$7.307 R$7.192
MaBook Pro 14″ M3 Pro R$22.999 €2599 R$14.077 R$8.922
Mac Mini M2 512GB  R$9.499 €959 R$5.194 R$4.305
Mac Studio M2 Ultra R$45.999 €4899 R$26.536 R$19.463
Apple Watch 9 Wi-Fi 41mm GPS R$4.999 €459 R$2.486 R$2.513
Apple Watch Ultra 2 R$9.699 €909 R$4.923 R$4.776
AirPods (3a geração) R$1.899 €199 R$1.077 R$822
AirPods Max R$6.590 €579 R$3.136 R$3.454

Como você pode ver pela tabela acima, todos os produtos são mais baratos na Europa. Alguns deles, como por exemplo os Apple Watches, tem uma diferença de valor tão grande, que você pode praticamente comprar dois na Europa pelo preço praticado no Brasil.

Os valores praticados em solo brasileiros são completamente abusivos, e sua única vantagem é que você consegue parcelar a compra, algo que não acontece na Europa. Até existem algumas formas de pagamento parceladas, como Klarna, mas elas só estão disponíveis para residentes.

Preciso pagar outras taxas além do valor apresentado?

Depende. Na hora da compra, se for utilizar um cartão de crédito, você precisará pagar o IOF, imposto sobre operações financeiras. Atualmente, esse imposto é de 4,38% em relação ao valor da compra. 

Ou seja, um iPhone 15 Pro de €1499, na verdade sairia por €1563 pagando no cartão de crédito.

Para evitar essa cobrança, você pode comprar euros em espécie ou através de carteiras digitais, onde será cobrado um IOF de apenas 1,1%. Você pode, por exemplo, criar uma conta na Wise e carregá-la com reais. Ao usar seu cartão Wise na Europa, a conversão será feita automaticamente, sem necessidade de você fazer nada além de carregar o cartão.

Como economizar na compra dos seus produtos Apple na Europa

Algo muito comum entre as grandes empresas de eletrônicos é a opção de comprar produtos refurbished, ou seja, recondicionados. Esses são produtos que já foram adquiridos por algum cliente, apresentaram defeitos, e a empresa recolheu e arrumou o problema.

Os produtos refurbished funcionam normalmente, e estão cobertos pela garantia da empresa. Eu, por exemplo, economizei quase US$400 ao comprar meu MacBook Pro 2017 recondicionado em uma viagem para os Estados Unidos. Essa diferença foi suficiente para eu conseguir adquirir um computador com muito mais memória e poder de processamento. E veja bem, o produto veio com caixa, sem nenhum sinal de uso.

Você pode comprar produtos recondicionados diretamente através do site da Apple, mas também pode comprar na seção de recondicionados de sites como a Amazon.es. Na minha experiência, os preços praticados pela Amazon são ainda melhores, incluem a garantia da própria loja e tem um estoque maior do que na própria Apple. 

Se procura modelos mais antigos, ou outras marcas de eletrônicos, comprar pela Amazon também é a melhor opção.

Tax-refund na Europa: receba um reembolso pelo imposto das suas compras

Aqui está o pulo do gato na questão de se vale a pena comprar Apple na Europa. Sim, você já viu que a diferença de preço faz com que todos os produtos sejam mais baratos no velho continente, mas você sabia que eles podem ficar ainda mais baratos?

Isso porque a União Europeia tem um sistema de tax-free para turistas, com o qual você pode receber reembolso pelos impostos dos produtos comprados, desde que você não seja morador de nenhum país que faça parte da UE. 

E veja bem, lembra que eu te falei que apesar dos preços serem tabelados na Apple entre os países, ainda tinha diferença entre comprar na França, Espanha ou Itália? Isso acontece porque cada país tem um valor diferente de imposto sobre os produtos, o que faz com que você receba mais (ou menos) reembolso, dependendo de onde fez a compra.

Na França e na Espanha você vai receber em torno de 12% de volta do valor da compra, enquanto em Portugal e na Itália, você receberá mais ou menos 13%, enquanto na Holanda e na Alemanha apenas 11%. 

A diferença pode parecer pouca, mas 2% de um MacBook seriam €25 a mais que você pode tranquilamente gastar em uma refeição durante sua viagem.

Sendo assim, o valor da tabela de diferença de preço não é exatamente verdadeiro, já que você vai receber em torno de 12% de volta se participar do programa de tax-free para turistas (é totalmente grátis, não tem porque participar). 

Para um Iphone 15 Pro Max, por exemplo, isso faria com que o preço final fosse R$7144, uma diferença de preço de quase mil reais a mais do que calculado anteriormente! Já era mais barato comprar na Europa, e com o tax-free fica ainda mais.

Aqui no blog tem um post completo explicando como funciona o tax-free na Europa, e como solicitar o reembolso dos seus impostos!

E Londres?

Você pode reparar que, até agora, eu não mencionei Londres ou o Reino Unido durante o post, e nem apresentei o valor do cálculo em Libras.

Isso é porque desde o Brexit, o Reino Unido não participa mais do sistema de tax-free. Se você estiver viajando apenas para o Reino Unido, vale a pena comprar seus produtos Apple lá porque ainda sairá mais barato do que no Brasil.

Agora, se sua viagem incluir diversos países da Europa, deixe para comprar seus eletrônicos naqueles que participam do sistema de tax-free, como é o caso dos países que fazem parte da União Europeia.

Para conseguir o reembolso, você precisa solicitá-lo antes de sair da União Europeia. Se o Reino Unido for sua última parada, lembre-se de solicitar o reembolso no aeroporto onde você vai embarcar para o Reino Unido. 

Vale mais a pena comprar Apple na Europa ou nos Estados Unidos?

Uma excelente pergunta. Afinal, os preços praticados na Europa são mais altos, mas eles possuem o sistema de tax-free. Enquanto isso, os preços parecem menores nos Estados Unidos, mas aqueles valores exibidos online ou em loja não são o preço final, já que falta acrescentar os impostos que são incluídos na hora de pagar.

Fazendo as contas, depois de deduzir e incluir todos os impostos necessários, e considerando que você vai usar o mesmo método de pagamento em ambas as viagens, sai mais barato comprar Apple nos Estados Unidos.

Um iPhone 15 Pro Max, por exemplo, sai em torno de R$6615 nos Estados Unidos, enquanto você vai pagar em torno de R$7144 na Europa. Um Macbook Pro M3 Pro sai por volta de R$11.025 nos Estados Unidos, e R$12.387 na Europa.

O valor certamente não é tão diferente como é no Brasil, mas ainda assim, se for visitar os dois destinos no mesmo ano, vale a pena deixar para fazer suas compras nos EUA.

E na alfândega brasileira? Preciso declarar minhas compras?

Na volta para o Brasil, cada pessoa tem direito a uma cota de US$1000 para compras no exterior. Em teoria, esse valor serve para roupas, brinquedos, acessórios e qualquer outro item adquirido fora do país, mas, na prática, essa cota costuma servir apenas para eletrônicos.

Existe uma isenção de itens que são considerados de uso pessoal, como por exemplo, celular. Para o seu novo iPhone se enquadrar nessa categoria, ele precisa estar em uso e você não pode ter um segundo celular com você. Se você trouxe 3 iPhones para amigos, por exemplo, apenas um não entrará na cota de US$1000 como uso pessoal.

Eu sei que uso pessoal é algo subjetivo, mas na minha experiência (e na de todos os sites que consultei sobre o assunto), computadores e tablets não costumam entrar como itens pessoais. Relógios podem se enquadrar se eles já estiverem no seu pulso.

Se passar da cota, você tem duas opções: 

  • Não declarar suas compras
  • Declarar suas compras

Se você declarar, pagará uma taxa certa de 50% do valor excedente. Ou seja, se comprar US$1500, pagará 50% de US$500, US$250.

Se não declarar suas compras e for parado pela fiscalização, você precisará pagar 100% do excedente, ou seja, US$500 nesse exemplo acima.

E veja bem, se você comprar um MacBook Pro de €2599, isso será em torno de US$2800. Ou seja, você terá que pagar 50% do excedente que é US$1800, então pagará US$900 de taxa. Isso seria R$4513, que faria com que o valor do computador fosse para R$18.590, ainda R$4400 mais barato do que no Brasil. 

O valor do imposto cobrado no Brasil é no preço da nota fiscal, por isso ele é cobrado em cima do valor do produto com os impostos. Porém, você recebeu reembolso dos impostos na Europa antes de voltar para o Brasil, que nesse caso seriam em torno de R$1690. 

Ou seja, mesmo declarando a entrada do produto no Brasil e com o Euro valendo mais de 5 reais, pela diferença de preço e pelo sistema de tax-free na Europa, você ainda vai economizar mais de 6 mil reais comprando seu MacBook na União Europeia.

Conclusão

Sim, vale a pena comprar Apple na Europa, mesmo com o Euro a mais de cinco reais. O sistema de tax-free torna as compras ainda mais vantajosas, já que você vai receber em torno de 12% do valor do produto de volta.

E aí, já comprou algum produto da Apple na Europa? Economizou quanto? Me conta nos comentários!



Fonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *